Recolhimento do ICMS em Goiás muda para dia 10, anuncia governador Ronaldo Caiado

Prazo para governo e Congresso decidirem sobre compensação da desoneração se encerra em 19 de julho
Grupo de Trabalho da Reforma Tributária afirma que objetivo é assegurar que a carga tributária seja neutra para todos os setores da economia
Deputado diz que relatório do projeto de regulamentação não prevê taxação de fundos imobiliários

Recolhimento do ICMS em Goiás muda para dia 10, anuncia governador Ronaldo Caiado

Recolhimento do ICMS em Goiás muda para dia 10, anuncia governador Ronaldo Caiado

Por: Autor
28/04/2022

Transferência de data atende à reivindicação do setor empresarial. “Isso dá maior flexibilidade e alívio no fluxo de caixa”, explica chefe do Executivo goiano.

O governador Ronaldo Caiado anunciou, nesta terça-feira (26/04), a mudança na data para recolhimento do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) em Goiás. “O prazo muda do dia 5 para 10. É compromisso feito”, pontuou durante assinatura da instrução normativa realizada na sede da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Goiás (Fecomércio-GO).

Essa alteração no calendário atende às reivindicações de empresários goianos. Em 2015, a antiga gestão estadual antecipou de 10 para todo dia 5 o recolhimento do imposto, o que acarretou em uma dificuldade econômica para o setor, visto que a data coincide com outros compromissos financeiros, como folha de pagamento e impostos federais. O ato do Estado, portanto, reduz essa sobrecarga. A medida entra em vigor já a partir do mês de maio.

Caiado explicou que a prorrogação do prazo só foi possível devido ao planejamento orçamentário e financeiro realizado em Goiás nos últimos três anos. Nesse período, houve reestruturação da máquina pública e renegociação da dívida.

“No momento em que conseguimos avançar no equilíbrio fiscal, a primeira medida que determinei foi exatamente essa que acabo de assinar. Isso dá ao empresário uma maior flexibilidade e alívio no seu fluxo de caixa”, relatou. “Essa data é importante porque mostra que quando se organiza um Estado, consegue atender demandas da sociedade”, disse a secretária da Economia, Cristiane Schmidt. Ela definiu o anúncio de Caiado como uma troca de fluxo de caixa que vai beneficiar o setor empresarial. “Mostra que estamos fazendo isso porque podemos, porque arrumamos as contas. Tanto é que nunca investimos tanto como agora”, completou ao revelar que, segundo a Secretaria do Tesouro Nacional, Goiás aplicou mais de R$ 4 bilhões somente em 2021.

O presidente da Fecomércio, Marcelo Baiocchi, celebrou a mudança da data de recolhimento do ICMS: “Nada melhor do que boas notícias como as de hoje”. O representante da entidade destacou a importância do diálogo que existe entre o Estado e o setor. “Tenho certeza que essa é uma forma democrática de se achar ponto de equilíbrio entre a necessidade de arrecadação do Estado e a capacidade de pagamento do contribuinte”, afirmou.

Participaram do evento o secretário de Indústria e Comércio Joel Sant”Anna Braga; o presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral; os presidentes de sindicatos filiados à Fecomércio, Cristiano Godinho (Sindilojas), Ricardo Rodrigues (Sindtur), IrmaAlves Fernandes (Sindimaco), Paulo Diniz (Sinat), Marco César Chaul (Sindinformática), Ademildo Godoy (Sindpit-dog), André Luiz Ignácio (Sindtur Anápolis), Divino Eterno dos Santos (Sindego), Nilson Castro Marinho (Sinfac GO/TO), Marcelino Lucena (Sindibeleza), Márcio Martins Andrade (Sindiposto), Newton Pereira (Sindibares), Geraldo Dias Filho (Sindimóveis), Gilberto Soares (Agos), Danillo Ramos (Abrasel); o vice-presidente do Secovi, Benjamin Ragonezi; e José Antônio Schimit, que representou o Conselho Regional de Contabilidade.

Fonte: Secretaria de Comunicação – Governo de Goiás; Econet

Compartilhe