Em entrevista ao JOTA, secretário aponta possibilidade de propor medidas que serão adotadas caso a alíquota média ultrapasse o patamar limite
Neste artigo, o especialista explica a respeito do split payment, como ele funciona e discussões atuais
Na decisão, ele afirma que não há dispositivo legal que determine que a compensação deva ser feita integralmente neste prazo
Com a inclusão de lobbies diversos, texto aprovado por deputados eleva alíquota de novos impostos para 27%, e contraria o princípio de neutralidade, Veja quais são os próximos passos

IR 2024: especialista explica a nova tributação de investimentos no exterior

IR 2024: especialista explica a nova tributação de investimentos no exterior

A Receita Federal publicou na última quarta-feira, 13, a Instrução Normativa RFB nº 2.180/2024, que estabelece novas regras para a tributação de investimentos no exterior (offshore).

Por: KBL
28/03/2024

A Receita Federal publicou na última quarta-feira, 13, a Instrução Normativa RFB nº 2.180/2024, que estabelece novas regras para a tributação de investimentos no exterior (offshore). As mudanças geraram dúvidas e incertezas entre os contribuintes, que ainda buscam entender como elas impactarão seus rendimentos e obrigações fiscais.

O sócio do Grupo MCR e especialista em contabilidade, Mafrys Gomes, destaca que a principal mudança diz respeito à tributação de renda auferida por pessoas físicas residentes no país com depósitos não remunerados no exterior, moeda estrangeira mantida em espécie, aplicações financeiras, entidades controladas e trusts no exterior. “A partir de agora, esses rendimentos serão tributados como se fossem recebidos no Brasil”.

 

 

Além disso, vale destacar outras mudanças importantes, como a alíquota fixa de imposto de renda sobre dividendos recebidos de empresas no exterior, que passa a ser de 15%. Isso significa que os contribuintes pagarão mais impostos sobre esses rendimentos.

 

 

Sobre os bens e direitos no exterior, vale ressaltar que é necessário declará-los à Receita Federal através da declaração de Imposto de Renda. 

 

 

Essa medida visa aumentar a transparência e combater a evasão fiscal.

 

 

Também é importante ressaltar que aqueles que são detentores de offshores tem até o dia 31/05/2024 para definir se preferem tributar todo o rendimento passado à alíquota de 8% ou manter esse rendimento sem ser tributado e, no momento da repatriação desse recurso, pagar uma alíquota de 15%.

 

 

Gomes adverte que o descumprimento das novas regras pode resultar em multas e até mesmo em sanções penais. “É importante que os contribuintes busquem orientação profissional para entender como as novas regras se aplicam aos seus investimentos e para garantir a regularização de sua situação fiscal”.

 

Fonte: Viralizou e Contábeis 

 

 

Compartilhe