Após reunião com Haddad, líderes fecham acordo e devem votar Perse nesta terça

Prazo para governo e Congresso decidirem sobre compensação da desoneração se encerra em 19 de julho
Grupo de Trabalho da Reforma Tributária afirma que objetivo é assegurar que a carga tributária seja neutra para todos os setores da economia
Deputado diz que relatório do projeto de regulamentação não prevê taxação de fundos imobiliários

Após reunião com Haddad, líderes fecham acordo e devem votar Perse nesta terça

Depois de reunião dos líderes partidários com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, os parlamentares fecharam um acordo com o governo e devem votar o PL 1026/2024, que trata do Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (Perse), nesta terça-feira (23/4). Se for aprovado na Câmara, o texto segue para o Senado.

Segundo Haddad, os pontos do acordo são o limite de impacto de R$ 15 bilhões em três anos (5 bi/ano) e necessidade de habilitação prévia com a Receita. A Fazenda aceitou deixar livre para o Congresso definir o número de setores beneficiados por meio dos CNAEs.

Logo depois da reunião, a relatora, deputada Renata Abreu (Podemos-SP), apresentou o parecer com uma lista de 29 CNAES a serem contemplados. Inicialmente, governo havia reduzido de 44 para 12 as atividades econômicas aptas a participar do programa. Leia a íntegra do relatório.

Criado na pandemia de Covid-19 para socorrer o setor de eventos, com caráter temporário, o Perse permite que as empresas tenham zeradas as alíquotas do IRPJ, CSLL e da PIS/Cofins. Desde o fim do ano passado, o governo vem tentando reduzir a abrangência do programa.

Veja a lista completa dos setores incluídos no relatório do Perse (PL 1026/2024)

  1. hotéis,
  2. serviços de alimentação para eventos e recepções bufê,
  3. atividades de exibição cinematográfica,
  4. criação de estandes para feiras e exposições,
  5. atividades de produção de fotografias, exceto aérea e submarina,
  6. filmagem de festas e eventos,
  7. agenciamento de profissionais para atividades esportivas, culturais e artísticas,
  8. aluguel de equipamentos recreativos e esportivos,
  9. aluguel de palcos, coberturas e outras estruturas de uso temporário, exceto andaimes,
  10. serviços de reservas e outros serviços de turismo não especificados anteriormente,
  11. serviços de organização de feiras, congressos, exposições e festas,
  12. casas de festas e eventos,
  13. produção teatral,
  14. produção musical,
  15. produção de espetáculos de dança,
  16. produção de espetáculos circenses, de marionetes e similares,
  17. atividades de sonorização e de iluminação,
  18. artes cênicas, espetáculos e atividades complementares não especificadas anteriormente,
  19. gestão de espaços para artes cênicas, espetáculos e outras atividades artísticas,
  20. produção e promoção de eventos esportivos,
  21. discotecas, danceterias, salões de dança e similares,
  22. restaurantes e similares,
  23. bares e outros estabelecimentos especializados em servir bebidas, sem entretenimento,
  24. bares e outros estabelecimentos especializados em servir bebidas, com entretenimento,
  25. agências de viagem,
  26. operadores turísticos,
  27. atividades de jardins botânicos, zoológicos, parques nacionais, reservas ecológicas e áreas de proteção ambiental,
  28. parques de diversão e parques temáticos,
  29. atividades de organizações associativas ligadas à cultura e à arte.

Fonte: Portal Jota  

Compartilhe